Um blog que surgiu do interesse de três colegas de profissão, profissionais de adoram o que fazem e não se cansam de trocar experiência, discutir o porquê de cada coisa, aprender e melhorar a cada dia nosso ofício. Junte-se a nós, apresente sua opinião de como você trabalha com o pilates, interaja.... será um prazer trocarmos nossas experiências!

24/10/2010

Dores nos punhos e o Pilates

Em muitos exercícios de Pilates, seja nos aparelhos, ou no solo e bola, utilizamos o apoio das mãos com os punhos em extensão.  Em alguns exercícios a descarga de peso sobre os punhos é parcial, porém em outros a descarga de peso é muito intensa.

Algumas pessoas, apresentam uma maior  fragilidade nesta articulação e referem dor durante a prática do Pilates. Exercícios como os Pull Ups na cadeira dependem do apoio dos punhos em extensão, porém a descarga de peso é aliviada pela quantidade de molas utilizada para auxiliar a musculatura abdominal 
na elevação do quadril.          
Já exercícios  de fortalecimento de abdome na bola  em posição prono, onde apenas os pés ficam na bola, oferecem descarga total do peso do corpo sobre a articulação dos punhos em extensão.




Exercícios no solo nesta mesma posição ou em outras posições em que os punhos permanecem em extensão oferecem descarga de peso intensa. 
Nestes e em todos os demais exercícios onde ocorre sobrecarga desta articulação, há uma compactação dos ossos do punho (piramidal, semilunar e escafóide) pela extremidade distal do rádio. A dor mais comum ocorre quando há pressão sobre o túnel do carpo com compressão do nervo mediano.
Existem alguns exercícios para prevenir estas dores e preparar a articulação dos punhos. Podemos orientar o aluno a executá-los no início e no final da aula quando sabemos que exercícios que sobrecarreguem os punhos serão realizados. É uma forma de compensação da articulação, da mesma forma que fazemos com a coluna lombar, após um exercício de extensão ou hiperlordose. Iremos  preparar a articulação do punho para os exercícios e após a sua realização, promover a decoaptação articular.
Como preparação podemos realizar exercícios de flexo-extensão e rotação dos punhos com a toning ball ou halteres de 2 kg com os braços na posição vertical, tomando a força da gravidade como aliada no aumento do espaço intra-articular. Exercícios em que as mãos em preensão sustentem o peso do corpo também ajudam na decoaptação como o hanging pull ups e o rolling back em pé.


Exercícios como o rolling back sentado com o auxílio das molas podem ser uma variação interessante para aqueles que apresentam dificuldade na realização dos exercícios anteriores.  
Com as alças de tornozelos colocadas nos punhos e conectadas  nas molas de sustentação na barra horizontal do Cadillac, cria-se uma ótima opção de decoaptação articular, associada ao trabalho de adução escapular. 
Outra opção é a colocação dos discos infláveis presos nas alças em torno dos punhos e realizar o movimento de rotação do ombro, o que também promove uma decoaptação desta articulação em conjunto.

Na parte final da aula podemos associar a decoaptação articular dos punhos aos exercícios de fortalecimento abdominal, equilíbrio e relaxamento, de forma que esse conjunto mantenha o ritmo da aula sem prejuízo das sequências e ao mesmo tempo prepare a articulação do punho para as próximas aulas.

Por Aneci Sobral Rocha 
Fisioterapeuta especialista em Fisioterapia Cardiorrespiratória e Pilates 
Clínica São Genaro e Instituto Brasileiro de Naturologia.

Um comentário:

  1. Gostei das dicas, pois acredito que as dores que sinto no punho, sejam por praticar Pilates.

    ResponderExcluir