Um blog que surgiu do interesse de três colegas de profissão, profissionais de adoram o que fazem e não se cansam de trocar experiência, discutir o porquê de cada coisa, aprender e melhorar a cada dia nosso ofício. Junte-se a nós, apresente sua opinião de como você trabalha com o pilates, interaja.... será um prazer trocarmos nossas experiências!

10 de nov de 2012

Aulas em Grupo no Reformer


Citamos no post Pilates no Brasil e no Mundo a BMC com sua metodologia de sucesso  e deles recebemos um texto explicativo sobre dúvidas comuns de como se trabalha com 4, 5 até 8 pessoas em uma mesma aula de pilates. O texto é ótimo e não esclarece apenas quem tem dúvidas sobre esta aula em grrupos, ousamos dizer que esclarece quem tem dúvida de como estruturar uma aula eficiente de pilates, por isso gostaríamos de dividir com nossos leitores:



As aulas de Pilates em grupo consistem em um treinamento progressivo, motivador, seguro e razoavelmente variado, considerando que:
Aulas em grupo são sempre treinamento. A pós-reabilitação, necessidades de reeducação postural e outras necessidades devem ser abordadas em um programa individual.
Entender que o Pilates é uma disciplina "mente-corpo" e não uma técnica de relaxamento, meditação ou alongamento passivo.

A quem se destina?
As aulas em grupo no reformer são destinadas a pessoas de todas as idades e ambos os sexos, que são saudáveis ​​e não mostrando qualquer lesão ou patologias que os impeça de realizar pelo menos 90% do repertório básico.
O número ideal de participantes deve ser entre 4 e 8.

Quais os equipamentos necessários?
Reformer com caixa
Acessórios de reformer e de solo
Plataforma de saltos
Plataforma de extensão
Bandas elásticas
Fitness circle
Toning ball
Soft-ball 

Organizando os grupos
O ideal é organizarmos os grupos o mais homogéneo quanto possível em termos de aptidão para a aprendizagem, condição física e  idade. Se não for possível, devem priorizar exatamente nesta ordem.
Recomenda-se não misturar pessoas de diferentes níveis, mas infelizmente isso ocorre as vezes.  Nestes casos, devemos respeitar o nível de que a aula se propõe, nunca abaixá-lo ou elevá-lo para atender somente um cliente específico.



Grupos introdutórios do Método
Grupos introdutórios devem ser grupos temporários de 4 a 8 aulas. Nestes grupos, o cliente aprenderá sobre os  princípios, entrará em contato com o repertório e o programa de exercícios de base e o funcionamento da máquina, posteriormente ele poderá passar  para o próximo nível.

Estrutura de uma Classe
Em uma aula de Pilates há uma grande variedade de exercícios e séries, cujos objetivos finais podem ser reduzida em três conceitos:
  • Mobilizar as articulações
  • Flexibilizar o corpo
  • Fortalecer as camadas:  os músculos profundos e intermediários (postura, estabilidade) e os músculos das camadas exteriores (mobilização).



Com estes três conceitos que desenvolvemos as três diretrizes para o planejamento de uma aula:

MOBILIZAÇÃO: da coluna, da pélvis e da cintura escapular(como prioridade) e das articulações periféricas em segundo plano.
FORTALECER: os músculos do núcleo e das camadas profundas (como prioridade) e os músculos dos membros superiores e inferiores em segundo plano.
FLEXIBILIZAR: músculos posturais (prioridade) e os músculos periféricos e mobilizadores  em segundo lugar.
Qualquer exercício de Pilates pode ser classificados em um dos três grupos acima. Desses há exercícios que podem fazer parte de mais do que um grupo de cada vez, por exemplo, combinar fortalecimento com a flexibilidade e mobilização.

Além deste planejamento inicial devemos considerar as próximas cinco diretrizes:
  • PLANO DE MOVIMENTO: realizar movimentos em todos os planos possíveis (frontal, sagital e transversal, isto significa: flexão, extensão, flexão lateral, rotação, abdução, adução e movimentos específicos da pelve e cintura escapular.
  • Grupos musculares: exercitar todos os grupos musculares a fim de evitar desequilíbrios (Núcleo (core), coluna dorsal, braços, pelve (músculos mobilizadores), pernas, etc.
  • MUDANÇA DE POSIÇÃO DO CORPO: Exercício em diferentes posições: supino, prono, sentado, quadrúpede, decúbito ajoelhado, em pé e  decúbito lateral.
  • FRENTES E DIREÇÕES DE TRAÇÃO: a respeito da barra de pé do reformer: de frente, de costas e de perfil.
  • SEGURANÇA: O ponto mais importante a considerar no planejamento ao decidir as sequências e exercícios. Seja claro sobre o nível que tem o grupo e as dificuldades que pode responder.

Considerando este últimos aspectos mencionados, você organiza uma 
AULA EFICAZ, SEGURA, ORGANIZADA E DINÂMICA.



O que você não pode faltar
Mobilize sua coluna em todos os planos: flexão, extensão, flexão lateral e rotação
Exercite regiões periféricas: ombro e braço músculos e quadril e pernas
Trabalhando o núcleo, o centro (músculos profundos posturais)
Mudanças na posição do corpo (supino, prono, sentado, ajoelhado e em pé)
Mudanças de posição na máquina (frente, costas e perfil)

Lembre-se que as progressões se dão avançando nas posições. No entanto, todos as aulas devem incluir combinações dos quatro grupos e nas três frentes.

por Laura Pelinski
Stott Pilates Full Certification
Pilates Method Alliance Membership (PMA)
IDEA Health & Fitness Association Membership

......................................................................................................................................

OBS:  Laura está neste mês em São Paulo (Brasil) abordando estes temas 
e lançando o workshop de pilates em grupo também.
 Informações no trabalhandocompilates@hotmail.com

......................................................................................................................................

2 comentários:

  1. Excelentes dicas, de vez enquando é bom analisar e recilcar informações como estas.
    Parabens a autora e publicadora!

    ResponderExcluir